Simulação da formação do Nitrato de Potássio


Substância: Nitrato de Potássio
Fórmula: KNO3
Forma de Cristais: Agulha
Factor de Cristalização: Precipitação
Ambientes em que se formam os cristais de nitrato de potássio por precipitação: Sedimentar e magmático

Pergunta (central): Como se formam cristais de nitrato de potássio em ambientes sedimentares e magmáticos?
Teoria: Cristalização por precipitação
Princípios:

-A cristalização de uma constituinte de uma fase liquida consiste na sua separação por formação de uma fase sólida cristalina. Os cristais podem ser obtidos através de processos físicos, resultantes do arrefecimento da solução ou evaporação do solvente ou de processos químicos, resultantes da adição de agentes precipitantes.
-Cristal é a massa homogénea sólida com formas poliédricas limitada exclusivamente por superfícies planas. Um cristal é euédrico quando o seu contorno é exclusivamente delimitado por faces e anédrico se não existe qualquer face.
- A cristalização pode ocorrer através de sublimação, precipitação, por arrefecimento e por oxidação-redução.
-Precipitação é quando se forma, por meio de uma reação química , um sólido insolúvel, e este se deposita no fundo do recipiente;
-Rocha sedimentar de precipitação: designação das rochas constituídas por precipitados que foram provocados por fenómenos físicos, químicos ou biológicos. Atendendo à homogeneidade da composição destas rochas, costumam ser classificados como: rochas cloretadas (sal-gema), rochas sulfatadas (gesso), rochas carbonatadas (estalactites) e rochas siliciosas (sílex).
- O nitrato de potássio pode-se designar também por nitro ou salitre.

Conceitos:
-Nitrato de potássio
-Precipitação
-Cristais
-Precipitação
-Rocha sedimentar

-Rocha magmática
-Diferenciação magmática
-Câmara magmática
-Cristalização fraccionada

Procedimento:
1- Num gobelé preparámos uma solução saturada de nitrato de potássio, agitando muito bem
2- Sobre uma lâmina de vidro, colocámos uma gota de solução ainda quente
3- Observámos a lâmina ao microscópio
4- Fotografámos minuto a minuto
5- Filtrámos a solução restante para um cristalizador
6- Tapámos a solução com gaze e deixámos num local calmo
7- Observámos o conteúdo dos cristalizadores uma vez por semana
8- Registámos as observações, recorrendo a fotografias


Videos youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=DKllv9nrcKI

Resultados:


external image Nitrato_de_potassio_3.jpg
external image Nitrato_de_potassio_4.jpg

external image Nitrato_de_potassio_5.jpg
external image Nitrato_de_potassio_6.jpg

Imagem 1 - Sequência de imagens (crescimento de cristais de nitrato de potássio) visto ao microscópio, onde o seu crescimento foi relativamente rápido devido às condições de temperatura. Como se pode observar, o tamanho de cristal aumenta progressivamente ao passar do tempo.


external image 01.jpgImagem 2 - cristais após precipitação, numa preparação, fotografada a olho nu.


Discussão dos resultados:
A cristalização do Nitrato de Potássio deu-se por precipitação. Neste processo de cristalização, os cristais vão-se formando à medida que a água vai evaporando, e vão tomando dimensões cada vez mais superiores. Por analogia, o mesmo acontece, por exemplo, em câmaras magmáticas, onde ocorre a diferenciação magmática e a cristalização fraccionada que pode originar o nitrato de potássio.

Conclusão:
Pudemos concluir, através desta simulação, que o nitrato de potássio forma os seus cristais por precipitação.